domingo, 16 de dezembro de 2007

Filmes da minha paixão

Pedem-me, o Ricardo e a Júlia, que indique os meus 5 filmes preferidos. Tarefa difícil, escolher só 5, mas vou fazer uma batota: já que o convite vem em duplicado, aproveito para alargar o rol. Aqui mesmo ao lado (à esquerda, no blog), estão alguns dos meus filmes de culto, nos "Louros do Vento". Há bem pouco tempo comentei aqui outro dos meus eternos, "A filha de Ryan". Por isso, os 5 que escolho agora são "além destes". De propósito, vou variar o género:
1. Comédia - "As faces de Harry"- o genial humor cáustico de Woody Allen, no seu melhor. Destaque para uma das histórias - o homem desfocado - embora todas sejam de uma imaginação fantástica. Hilariante.
2. Drama - "Mar Adentro" - falar de um tema ultra delicado como a eutanásia, sem os rodriguinhos habituais, não é para todos. É para Alejandro Almenábar, que o faz com elegância e poesia. A interpretação de Javier Bardem também não é alheia a esse sortilégio.
3. Aventura/Epopeia - "Fitzcarraldo" - o sonho de um melómano aventureiro (levar Caruso e toda a companhia à Ópera de Manaus) e o breve mas delirante eldorado da borracha, na Amazónia. Klaus Kinski, um louco inesquecível. Cláudia Cardinalle, linda. Um filme de Werner Herzog de que poucos se lembrarão, mas que eu adoro.
4. Suspense - "Seven" - um filme arrepiante que me obriguei a ver por ser tão bom. E não me arrependo (achei-o magnífico), mas não o vejo outra vez. De David Fincher, com um actor maior - Morgan Freeman. E o bálsamo da beleza de Brad Pitt, a suavizar o arrepio.
5 -
Ficção Científica - "Dune" - David Lynch bem ao seu estilo, num filme surpreendente e de uma estética imbatível. Não passa de moda, ao contrário de outros filmes deste género.
Muitos filmes se seguiriam nesta lista, mas acho que já abusei. Passo a pasta, como se impõe, aos blogueiros Leonor Barros, TCL, Adelaide Amorim, Von e Miguel.
(Como é que eu fui deixar de fora Fellini e Visconti??? Esta coisa de serem só 5...)

20 comments:

Mad disse...

Eu não vou continuar este desafio. Primeiro, porque posso. Segundo, porque vivo há oito anos, como toda a gente sabe, no mato. Não que os melhores filmes da minha vida se tenham feito desde há 8 anos para cá (muito pelo contrário!), mas porque estou assumidamente destreinada (por amor de Deus, eu ainda nem vi o último 007!!!).

Quanto ao Seven, valha-nos a beleza do Brad Pitt, porque quanto a actuar, ele nessa altura tinha taaaaanto que aprender...

av disse...

Ok, por mim ninguém é obrigado a pegar na bola. Mas tinha que passá-la a alguém...

tcl disse...

Como disse à mana, vou pensar no teu caso... Por princípio não vou em correntes, nem em desafios. Mas escrever algo sobre os meus filmes de eleição até está na calha, por isso, quem sabe...

Anónimo disse...

OS 5 filmes?

Blade Runner
The Limey
2046
Casablanca
Clockwork Orange

Menção Honrosa na categoria
de Ternura: Diner (Steve Gutemberg, Daniel Stern, Mickey O´Rourke, ...)

de Suspense vs Fantástico: Fallen (Denzel Washington)

de Autobiografia: High Fidelity (John Cusack)

E ainda há outras menções honrosas a entregar...

Com os meus cumprimentos e um enorme parabéns pela edição do seu livro (teria sido um sincero prazer conhecê-la e ao seu livro, mas este fim de semana foi muito longe...).

Von

http://europaepiratas.blogspot.com/
http://dordoce.blogspot.com/

miguel disse...

Ana: espera só um bocadinho pela minha lista, que até pode sair incompleta. Mas prometo fazê-la. E, obrigado, porque é a primeira vez que me colocam na lista para fazer " uma torrente de multiplicação". Simpatia da tua parte!

miguel disse...

onde escrevi "torrente" é mesmo "torrente", não é "corrente".Torrente é mais livre, corrente é menos livre, aliás, pelo contrário!

Ricardo Fonseca disse...

E nunca viste o "Memento"?

av disse...

Pois, Ricardo, é mais um dos que ficou por nomear... mas são tantos!

leonor disse...

Prometo respoder, Ana, só não sei quando e desconfio que agora só depois do Natal. Vou ali à Europa Central beber um Glühwein entretanto :-)

av disse...

Claro, Leonor. Também vou para fora (para a Europa que ainda não o é...) logo a seguir ao Natal. Por mim, tens todo o tempo do mundo.
Beijos, Bom Natal e óptima viagem.

RAA disse...

O Fitzcarraldo podia estar na miha lista, vizinha.

JG disse...

Eu, como sou mais pró fóssil, recuo mais uns aninhos:

Musical - West Side Story de Robert Wise
Ficção científica - 2001 Odisseia no Espaço de Kubrick
Drama - Ondas de Paixão (mais recente) de Lars von Trier
Comédia/autobiográfico - Amarcord de Fellini
Western - Imperdoável de Clint Eastwood
e muitos, muitos mais de um cinéfilo inveterado desde que me lembro de existir.

Beijos e, já sabes, fiquei tristíssimo por não ter ido

Pantagruel disse...

Adorava ser cinéfilo e não sou e fazem-me inveja os comentários acertados, conhecedores, sobre cinema, como alguns acima. Gosto de cinema, claro, disciplino-me a ir ao cinema com frequência, agora depois dos filhos já mais crescidos e limito-me a referir alguns dos que, me lembro, gostei. Alguns cheguei mesmo a comprar em DVD, que revejo de vez em quando. Sinalizo "O Cinema Paraíso", de sensibilidade tocante como "A Vida é Bela", "Chocolate", um prazer para os sentidos, "O Pianista" e na mesma linha "A Lista de Schindler", de recordações não vividas que não deviam existir, "Era Uma Vez na América" e os "Padrinhos", ao estilo gangsteriano e "Moulin Rouge", um filme que se revelou espectacular no sentido próprio do termo, depois dos primeiros minutos de completa desorientação e ameaça de desilusão, de música fabulosa, com destaque para Rosana em jeito de tango. Lembro-me ainda de "Voando Sobre Um Ninho de Cucos" e "Rosa Púrpura", que, no tempo em que os vi - ainda as salas de cinema eram, só por si, um espectáculo - me marcaram muito. Fica ainda o registo, a preto e branco, do Couraçado Potemkin, visto do galinheiro a pique do antigo Cinema Império (quem se lembra) nas sessões de cinema universitário às 4ªfeiras (?).
Afinal não gosto só de cozinha...

av disse...

Já demos todos por isso, Pantagruel. E, para um não-cinéfilo, a lista de preciosidades saíu de imediato. E cheia de estilo!
De cada vez que leio um dos vossos comentários (é giro que a corrente se tenha alargado aos comentadores, assim é que eu gosto), lembro-me de um filme que é imperdoável não estar na minha lista. O "Cinema Paraíso", por exemplo.

av disse...

JG,
Não é do Amarcord aquela história deliciosa de um homem que vê da sua janela um cartaz publicitário com o slogan "bevete piu latte", sobre uma fotografia do busto (mais do que generoso...) da Anita Ekberg, e desata a fantasiar com aquilo? Delirante. É Fellini de certeza, mas não tenho a certeza se é o Amarcord.

Vizinho,
O Fitzcarraldo tem um lugarzinho especial para mim, desde sempre. Aquela travessia do Amazonas... adorava ir a Manaus, que não conheço.

av disse...

Já descobri qual era o filme (ah, a maravilhosa wikipedia!): o "Boccaccio 70", 4 histórias de 4 grandes mestres do cinema italiano: Fellini, Visconti, De Sicca e Monicelli. A história a que me refiro é a de Fellini, como eu me lembrava. Aqui está o resumo:
"As Tentações do Dr. António, de Federico Fellini com Anita Ekberg, A fantástica história de um homem cinzento que vê o mal em tudo (Peppino de Filippo) e que fica perturbado pela presença de um outdoor com uma bela e sensual mulher. O retrato ganha vida e a irresistível mulher torna-se uma obsessão alucinante para Dr. António."

Capitão-Mor disse...

Partilho o teu gosto pelo "Dune". Aliás, eu sou um fanático do universo Lynch. Chegeui mesmo a apresentar um projecto de mestrado sobre a sua obra...

av disse...

Muito bem, Capitão! Um mestrado sobre a obra do Lynch deve ser obra, mesmo...

JG disse...

Essa cena, Ana, é do filme, também de Fellini, Boccaccio 70, num dos episódios chamado "A Tentação do Dr. António". Inesquecível, também.
Fellini devia ter uma atracção por seios fartos. No Amarcord há uma cena de antologia em o adolescente que o filme retrata tem um encontro sensual com uma merceeira abastada de peito.
Vou hoje fazer o post que tb me foi pedido pela Júlia e coloco-lhe uma foto dessa cena.
Fellini foi mum génio e tudo o que ele fez fica na memória de quem o viu, reviu e tornou a ver.

av disse...

Obrigada pela explicação, JG. Entretanto também já a tinha encontrado na wikipédia, como disse lá atrás, nos comentários.
Concordo: Fellini era mesmo um génio.
Fico à espera do teu post.