sábado, 15 de março de 2008

Génios

É estranho. É muito estranho que, em quase um ano de "bloguice" nesta Porta do Vento, eu não tenha aqui trazido mais do que uma ou duas vezes uma das minhas maiores paixões musicais de sempre: Elton John. É que o acho genial, tão genial que o ponho em pé de igualdade - digo-o sem qualquer complexo ou medo de exagerar - com outro génio: Mozart.

Mais: se eu acreditasse na teoria da reencarnação, teria a certeza de que Elton John é uma segunda pele do Mestre austríaco, tantas são as semelhanças que lhes encontro: para além da genialidade das composições (a de cada um deles tem que ser lida à luz do seu tempo), vejo-lhes a mesma excentricidade, a mesma frescura, a mesma irreverência, a mesma alegria quase infantil, a mesma necessidade de aplauso, o mesmo sentido de humor, o mesmo gosto da provocação e da brincadeira.

E acho que o próprio Elton John se sente herdeiro de tudo isso, ainda que o não confesse. A prova? O traje que escolheu para sua a actuação neste memorável concerto australiano, acompanhado de uma orquestra "à séria", que eu ouço no carro numa perigosa e alucinante concentração de decibéis. Recomendo o exercício a quem quiser começar o dia (ou acabá-lo) de maneira estimulante.

Escolhi o tema "Sorry seems to be the hardest word" - para mim, uma das canções mais bonitas e mais tristes que já foram escritas - que considero o seu Requiem para um amor, tão pungente e dramático como o maravilhoso Requiem de Mozart. Aqui fica a minha homenagem, com um inexplicável atraso, a um génio da música que me acompanha há muitos anos. Digam lá se é possível fazer melhor do que isto...

(Nota: é pena o som, que não é o melhor)

42 comments:

O Réprobo disse...

Querida Ana, partilho metade da admiração, a que refere Mozart. C´est déjà quelque chose.
Beijinho

av disse...

Sans doute, mon cher.

PSB disse...

Pois eu partilho-a integralmente. Na música clássica acho Mozart incomparável, até pela multiplicidade de géneros que compôs, cada qual com peças magistrais. Acrescento Verdi com as suas óperas de árias inesquecíveis.
O Elton John é uma paixão de sempre. Coleccionei desde miúdo os LP em vinil, que ainda hoje guardo, e, sempre que entro numa loja de discos, procuro recuperá-los em CD, o que já tive a sorte de conseguir numa série de álbuns em que fui tropeçando. Canções como o Your Song (diria quase todas deste album preto de 1970) são clássicos que, passados 40 anos se ouvem com uma actualidade impressionante. Intemporais.
Um beijo.

MariaV disse...

Esta música é também uma das minhas. E acho que tens razão no paralelismo.
Beijo

Teresa disse...

É que não posso estar mais de acordo. Tão, mas tão de acordo que até estou comovida.

Considero Elton John um génio musical... até 1975, até ao Captain Fantastic. A seu devido tempo, muitos álbuns dele irão parar àquela etiqueta da Gota, "Os discos da minha vida".

Curiosamente, hoje, a caminho de casa, e porque vinha a ouvir uma certa música (muito penso eu enquanto guio!), decidi qual seria o próximo disco a figurar nessa categoria. Era (será) dele. Estou a pensar em lançar um desafio, que provavelmente só terá eco em duas ou três pessoas, mas agora sei que serás uma delas. :)

Beijo enorme.

Comento para baixo depois (este era irresistível), leio tudo no Google Reader (ai mulher, as fotografias de Sintra mataram-me, e eu estou capaz de te matar só por causa daquela vista!).

av disse...

Pedro,
Verdi também é um dos meus eternos, sem dúvida.
Mas o Mozart e o Elton John atreveram-se a... brincar, musicalmente falando. E isso é realmente genial.
Tens razão, as canções do Elton John são intemporais e esse disco é óptimo. E já que falámos de parcerias, ele teve sempre o Bernie Taupin a fazer-lhe as letras, o que ajudou muito a que elas tenham tanta qualidade.
Beijo

Teresa,
Tem graça, o Captain Fantastic é mesmo um dos meus favoritos dele. Tem 3 canções inesquecíveis: "Curtains", "We all fall in love sometimes" e "Writing" (esta adoro, a letra fala exactamente de parcerias musicais). Venha de lá o desafio.
E o próximo encontro das Cell Blog pode ser aqui em Sintra...
Proponho um almoço (sábado ou domingo, para todas poderem vir), e assim gozam esta vista fantástica e depois damos um belo passeio por aí. Que tal?
beijinho

Teresa disse...

I'm in! :)

Há também Someone Saved My Life Tonight...

av disse...

Esqueci-me dessa, Sugar Bear!

Teresa disse...

Poucas coisas há nesta vida de que eu gosto mais do que descobrir que posso partilhar paixões!
(ronronar sorridente)

Vou mandar-te a música AGORA!

(não seja o caso trágico de não a teres contigo)

Teresa disse...

de que eu GOSTE mais.
Correcção, Maria Teresa, correcção...

av disse...

LOL
Tenho, mas manda na mesma.
E essa de partilhar paixões tem que se lhe diga...
;)

sum disse...

Elton John é Elton John. "Rares Master", um dos seus melhores CD's, anda comigo para todo o lado. É de facto um génio.

Não consigo ter uma preferência. Hoje é uma amanha é outra. Hoje é "The last song" e "Funeral for a friend" amanha nem sei, talvez "Sad Song" ou "Can you feel the love tonight" ou "Friends".

Elton John dá encanto às musicas mesmo quando não são dele como esta http://br.youtube.com/watch?v=ZY2p7oE7Bpw
Um Beijo.

Teresa disse...

LOL" Nem me tinha lembrado.

No bom sentido, querida, no bom sentido... Aliás, nem de paixão se pode falar, só de breve tonteira, não é? ;)

av disse...

Óptima sugestão, Sum!
E o "skyline pidgeon", e o "tiny dancer", e o "sacrifice", e o "yellow brick road", e... tem razão, é impossível escolher só uma ou duas.
Beijinho

av disse...

De breve mas profunda insanidade mental, queres tu dizer...
LOL

Teresa disse...

Skyline Pigeon terá sempre de estar entre as dez maiores. Idem para Tiny Dancer. E para I Need You to Turn to, e para The Greatest Discovery... e para...

Raios! O homem é um génio! :)

Teresa disse...

Eu tenho um bocadinho de vergonha, confesso...

av disse...

LOL! E o que hei-de dizer eu, que fui bem mais longe???
(esta private joke cruzada no meio das canções do Elton John tem a sua graça...
E emendo - "pigeon", claro. Correcção...

RAA disse...

Não partilho desse seu entusiasmo, vizinha, embora reconheça que ele tem momentos de rasgo: estou agora a lembrar-me de «Rocket Man» ou «Your Song», magníficas.

av disse...

Pois é, vizinho... mesmo quem não é entusiasta reconhece o golpe de asa, não é?

Teresa disse...

Mais duas... E também Don't Let the Sun Go down on Me...

Voltando à vaca fria... ò Ana, que grandes senhoras somos! lol Se o pequeno lesse isto nem desconfiava... Mas talvez devêssemos ser generosas e fazer um aviso à navegação...

Ná, não vale a pena. Acho que já não tenta ninguém...

(apaga se achares melhor)

E agora vou ver mais um episódio do 24!!!!

av disse...

Somos sim senhora! E também acho que é escusado, já ninguém cai nessa vaca gelada...

Vai lá ver o teu 24.
beijinhos

av disse...

E "Candle in the wind"? (a versão da Marilyn, não a da Diana). Uma beleza.

Huckleberry Friend disse...

Só uma adenda: I guess that's why they call it the blues. Bjs, Ana e Teresa.

Karocha disse...

Estou plenamente de acordo com o Elton o homem é genial, mas existe outro que me deixa de gatas,Demis Roussos, Aquela voz !!! :-)

Teresa disse...

Agarrem-me!!!

Vou fingir que não li isto.

Sofia disse...

O meu problema mesmo é escolher a que mais gosto, porque fico a fazer contas à vida e gosto de uma porque a dancei aqui com aquele, a outra porque cantamos sempre que vamos para não sei onde e mais aquela que gosto porque a ouvia sempre com a minha tia, aquela porque o meu pai estava sempre a cantar, a outra que o 'miúdo' canta com a minha irmã e que eu saio sempre a meio porque já estou a chorar baba e ranho... enfim, um génio! Ah, e a que puseste ali em cima, porque foi a que me acordou hoje!!!

Beijinhos e sorrisos, que vou voltar à cozinha, desde as três da manhã de ontem que estou a matar saudades dos meus cozinhados! Depois conto!

av disse...

Eu também vou fazer o mesmo, Teresa...
;)

Sofs, bom regresso aos tachos!! Imagino que seja estranho ouvir isto de uma "feminista" assumida, (há gente que não percebe nada, é é bem feito...), mas eu ADORO cozinhar!! Por isso sei o prazer que isso te dá!

Beijinhos

Karocha disse...

Podem não gostar,mas Demis e Vangellis fizeram uma dupla genial;os primos Egípcios vindos da Grécia.
Mas gostos são gostos,também gosto de wagner e a maior parte das pessoas não :-)

Vítor (o da Teresa) disse...

Eu arrisco um terceiro nome para termos um dream trio.

Elton John, Demis Roussos e Vítor Espadinha fica bonito.

LOL!

av disse...

Karocha, não se zangue. Gostos não se discutem, tem razão. O problema é que a fasquia estava muuuuuito alta! Quanto a Wagner, concordo consigo: há momentos belíssimos (para mim algumas aberturas, sobretudo) nas suas longas e intrincadas óperas.

av disse...

Vítor, convinha ficarmos pela feira de Borba...

Um seu admirador disse...

Lamento ter que discordar, Ana Vidal.
Para os ingleses cultos, Elton John está para a música popular inglesa como o Tony Carreira está para a nossa.
São ambos cantores pimba, com um aparelho vocal bom, umas letras sofríveis ou abaixo de cão e umas músicas cantáveis ou dançáveis, conforme se tenha pé para a dança ou não.

É, convenhamos, um grande exagero seu. Mozart ficaria chateado se soubesse disto.

Por esta ordem de ideias, se Elton John é comparável a Mozart, os Radiohead, os Beatles, Prince, Bjork (para só citar alguns incomparávelmente melhores e muito mais inovadores e geniais que esse senhor), são comparáveis a quem?

Mozart foi incompreendido no seu tempo, morreu pobre e foi genial.
Elton John não passa de um cantor pimba.
Que raio de comparação!!!!

av disse...

Meu caro admirador,

Não há dúvida: gostos não se discutem, mesmo! Porque a comparação entre o Elton John e o Tony Carreira, para mim, é que é um raio de uma comparação... pimba!
E também lhe digo que não me impressiona o gosto musical dos ingleses cultos, como não me impressiona os gosto estético das inglesas cultas. Em matéria de gosto, os ingleses só me convencem no humor. E nesse capítulo, volto a dizer, Mozart e Elton John podem comparar-se. Já o Carreira...
Além disso, desculpe a pergunta, mas desde quando é que a genialidade se mede pelo grau de miséria?

Ao contrário de si, acho que Mozart não ficaria nada chateado se soubesse a minha opinião. Pelo que conheço da sua biografia, parece-me até que se dariam ambos (ele e o Elton John) muito bem! Mas a verdade é que ambos especulamos, presumindo conhecer as reacções de Mozart, não é?

Finalmente, que a nossa discordância não o impeça de identificar-se. Não é por nada, é só porque gosto de saber quem são os meus admiradores...

Volte sempre, é muito bem-vindo.

av disse...

Faltou-me dizer que essa lista que apresenta é a "sua" lista de génios... não necessariamente a minha, ou a de outra pessoa qualquer. E diga-me: esses seus génios também são incompreendidos e miseráveis???

Um seu admirador disse...

A sua intolerância relativamente a uma opinião só porque é contrária à sua é uma verdadeira surpresa para mim.

Outra surpresa, é o seu desconhecimento ou desprezo, como mulher culta como eu penso que seja, do que de bom há na Inglaterra além dos humoristas. A sua afirmação é, no mínimo, surpreendente.

Não vou aqui tecer mais considerações acerca das virtudes geniais de uma figura tão patética como esse senhor que você põe nos píncaros. As pessoas que ficaram no Casino Estoril com o bilhete na mão à espera dessa genialidade é que talvez não pensem assim. Mas não é por essa atitude que eu não gosto nem desgosto de Elton John. Eu nem sequer estava lá.

Quando você escreve "Escolhi o tema "Sorry seems to be the hardest word" - para mim, uma das canções mais bonitas e mais tristes que já foram escritas - que considero o seu Requiem para um amor, tão pungente e dramático como o maravilhoso Requiem de Mozart." devia ter pensado melhor.

O Requiem de Mozart é uma obra-prima absoluta do génio humano. Essa musiquinha que refere não é nada. Nada em todos os sentidos: na melodia, na letra, na interpretação. Há milhentas canções iguais a essa cantadas por milhentos cantores iguais. Até o Tony Carreira, infinitamente mais amado pelo nosso povo que esse "amante de coração destroçado", faria igual ou melhor.

Não lhe vou revelar a minha identidade. Não serviria de nada porque você não me conhece. O seu blog é um espaço aberto a todas as opiniões. E é assim que as deve encarar, venham lá de onde vierem.

Não a ofendi nem insultei. Apenas expressei a minha opinião. Não é motivo para se abespinhar nem querer saber quem eu sou.
Basta-lhe que saiba que sou uma pessoa que ombreia consigo na cultura e que sabe o que diz.

av disse...

Caro "admirador",
Vamos lá ver se a gente se entende: você não só não me ofendeu nem me insultou, como... não percebeu nada do que eu disse.
Respondi com humor (pelos vistos não resultou, culpa minha) a um comentário abespinhado da sua parte (gostava que me esplicasse onde está o meu abespinhanço, já agora...), pedindo explicações sobre as minhas opiniões e classificando-as quase de crime de lesa majestade. "Devia ter pensado melhor"??? O que quer isso dizer, que não posso exprimir a minha opinião neste espaço que é meu, por muito absurda que lhe pareça?
Está no seu inteiro direito de não gostar do Elton John, como eu estou de não gostar do Tony Carreira. E é claro que este espaço é aberto a todas as opiniões, mas... porque eu quero que assim seja! Se não quisesse, não tinha mais do que impedir, ou pelo menos filtrar, os comentários que aqui surgem. Não lhe parece?
Deixe-se de sermões, portanto. Não lhe chamei inculto em nenhuma palavra que tenha escrito aqui. Já o contrário não é bem assim, com esse seu ataque irritado às minhas comparações. Que valem o que valem... são, apenas e não mais do que isso, a minha opinião!

O pedido de identificação era outra brincadeira, meu caro. Está no seu direito, mais uma vez o sublinho, de manter o anonimato. E, mais uma vez também, porque eu permito que haja anónimos nos meus comentadores. Não me dê lições de pluralismo e de frontalidade, ainda por cima escondendo-se num confortável anonimato.
Parece-me é que você tem a mania da perseguição... não?

Volte sempre, desde que seja educado como até agora.

Teresa disse...

Ao admirador da Ana:

A minha paixão por Mozart (que raia o fanatismo)não se sentiu nem um pouco beliscada com a comparação por ela estabelecida entre o Génio Absoluto e Elton John.

Não conheço a sua Inglaterra, a intuição sopra-me que ainda bem. Elton John-cantor pimba é uma abordagem curiosa (adoro eufemismos). Não posso questionat gostos (só há dois, o bom e o mau), posso questionar outras coisas, e acontece que a ignorância é justamente uma das coisas que mais me irritam. Denegrir Elton John (até 1975, repito, mas isto é conversa privada entre mim e a dona do blógui, e até estamos de acordo) é ignorância.

Vá ouvir os discos, caro admirador, venha dar palpites depois.

Admirador espantado disse...

Então está bem!
Fiquem lá com Elton que eu cá fico com a minha.
Cada um é livre de escrever os disparates que quiser. Só o que não se pode querer é que toda a gente concorde.

E como o "Concorde" já não voa, vou no meu pópó fazer umas mini-férias, como todo o portuguesinho faz nesta altura.

Boa Páscoa.

Admirador espantado disse...

Então está bem!
Fiquem lá com Elton que eu cá fico com a minha.
Cada um é livre de escrever os disparates que quiser. Só o que não se pode querer é que toda a gente concorde.

E como o "Concorde" já não voa, vou no meu pópó fazer umas mini-férias, como todo o portuguesinho faz nesta altura.

Boa Páscoa.

Admirador espantado disse...

Então está bem!
Fiquem lá com Elton que eu cá fico com a minha.
Cada um é livre de escrever os disparates que quiser. Só o que não se pode querer é que toda a gente concorde.

E como o "Concorde" já não voa, vou no meu pópó fazer umas mini-férias, como todo o portuguesinho faz nesta altura.

Boa Páscoa.

av disse...

Ora faz muito bem. Espero que lhe façam bem as férias, e que descontraia.

Cada um é livre de escrever os disparates que quiser, é uma grande verdade. Vê como estamos de acordo, afinal?

Boa Páscoa para si também.