domingo, 9 de dezembro de 2007

Pudesse eu


Pudesse eu não ter laços nem limites
Ó vida de mil faces transbordantes
Para poder responder aos teus convites
Suspensos na surpresa dos instantes!

(Sophia de Mello Breyner)

2 comments:

Sofia disse...

'Pudesse eu não ter laços nem limites' e seria tanta coisa!
Já virou saberdoria do cais...
Beijinhos

av disse...

É uma quadra genial da tua homónima, uma das coisas mais bonitas que ela escreveu. Sempre gostei dela, e cito-a muitas vezes.
Beijinhos