sexta-feira, 16 de novembro de 2007

Amor # Paixão (4)


O amor sabe.
A paixão inventa.

(Jacques Brel - Quand on n'a que l'amour)

7 comments:

Quem tecla não chora disse...

Olá:
Explicando os memes...tu estás a fazer uma série sobre amor/paixão.
Se quisesses inventar um meme,era só pegar numa das tuas imagens(o coração,por ex)e escreverum desafio a 5 pessoas que tu escolhes:
-E tu descreve uma frase sobre o amor versus a paixão!
... e depois delega a 5 amigos....uma corrente em que nós fazemos o tema...:(será que fui mais explícita?
kkkk
bjjj:)

av disse...

Obrigada, Tecla. Sobretudo pela paciência das explicações. Vou pensar nisso.
:)

miguel disse...

E esta?... que vem hoje no jornal " Público" da autoria de um tal Edward Murphy.
" Uma mulher nunca esquece o homem que podia ter tido, um homem nunca esquece a mulher que não pode ter".

Haverá um amor de género? Talvez, com as excepções habituais, sem as quais é impossivel a norma. Aliás, e pegando na proposta de hoje da Ana, acho que, nesta questão de amores e paixões, a mulher sabe e o homem inventa, ou, pelo menos, sou eu que o acho.

av disse...

Miguel, sintonizaste!!! Boa!
E logo com uma óptima questão: haverá um amor de género? Não sei, mas não me parece que o amor esteja assim tão dividido em dois. O que há, com certeza, é muitos géneros de amor.
Quanto a essa máxima do Público, acho que ambos os "nunca esquece" se aplicam aos dois também. Depende das circunstâncias em que se "podia ter tido" e "não se pode ter", mas a dificuldade em esquecer acontece a todos.

Mad disse...

Hummmm... não. A paixão venta mais do que inventa.

Miguel, não concordo nada contigo: quem sabe são os homens; as mulheres normalmente é que inventam os castelos no ar.

av disse...

Olha, a miúda voltou do retiro! Li o mail, mas estou em plena mudança. Já vou responder-te.
bjs

Huckleberry Friend disse...

Caros Miguel, Ana e Mad:
muito embora avesso a generalizações, essa lei desse Murphy pareceu-me quase tão acertada como as do outro... mas talvez a realidade não seja tão estanque e se o amor fosse tão espartilhado entre um sexo e outro (ainda mais) difícil que os unisse como une!

Quando a os homens inventarem e as mulheres saberem, tenho mais reservas... há mulheres que sabem inventar muito bem, só é preciso que não pensem que sabem tudo. E os homens também sabem coisas, que não devem esquecer quando se põem a inventar... Até já!

sobre a tua proposta, nada descabida, temperá-la-ia apenas com a tal coisa das excepções que confirmam a norma. Isto porque há mulheres capazes de inventar e muito bem, desde que não se convençam de que sabem tudo. E não faz mal aos homens basearem as suas invenções no pouco que sabem...