domingo, 23 de setembro de 2007

Silêncio eterno


Morreu Marcel Marceau, o grande mimo francês.
O seu ídolo era Charlot, de quem bebeu os silêncios que diziam tudo.
Palavras, para quê?

5 comments:

manuel teixeira disse...

................................

ana vidal disse...

:)

João Paulo Cardoso disse...

Se neste momento fizesse uma mímica para ilustrar o que acho dos mimos, acabaria preso por atentado ao pudor.

Beijos.

Mad disse...

Ora aí está alguém (o JP) que não tem pudor em dizer o que pensa - ou o que faria, melhor dizendo. E eu faria exactamente o mesmo, que nunca tive a menor pachôrra pró dito. Coitado, morreu, R.I.P. Mas que era uma grandessíssima seca, lá isso era.

Já agora, ilustra-me: grandessíssima é assim que se escreve? Ou é com "c" mais dois "ss"?

ana vidal disse...

Grandecíssima - assim.
Coitado do Marceau, por aqui não se safava...