sexta-feira, 4 de abril de 2008

Ainda um sonho


Passam hoje 4o anos sobre a morte de Martin Luther King.
Que bom seria que o seu sonho fosse já uma realidade...

11 comments:

Once In a While disse...

"through violence you may murder a murderer but you can't murder murder.
Through violence you may murder a liar but you can't establish truth.
Through violence you may murder a hater, but you can't murder hate. Darkness cannot put out darkness. Only light can do that."

Para que pudessemos continuar a sonhar? que bom seria ..

Beijinho Ana e bom fim-de-semana *

av disse...

Beijinho, Once.
Bom fim de semana para si também.

fugidia disse...

Não foi só o sonho dele; não é só o sonho dele; não será, certamente, só o sonho dele.
E assim este "sonho" se vai concretizando mais um bocadinho, todos os dias...

Sou muito pragmática mas sou optimista também: o meu pai esforçou-se muito para que eu acreditasse que o homem é naturalmente bom, como dizia Rousseau :-)
Creio, no sentido de acreditar, que todos (sublinho o todos) somos capazes do melhor e do pior; o desafio é conseguirmos viver a vida segundo os valores do primeiro, sem pisar o risco. Desafio maior será, talvez, tendo-o pisado, reconhecê-lo e recuar. Nem que seja na "cruz", ao lado Dele...
Um beijinho.
:-)

av disse...

Não posso estar mais de acordo, Fugidia. Em todos nós há o melhor e o pior, e reconhecê-lo já é um passo importante. O resto é navegação, nem sempre com a costa à vista.
Beijinho

teresa ribeiro disse...

Bem lembrado, Ana. Ele é um dos meus heróis de estimação!Bj

CoRa disse...

pena que ainda leva tempo.
mas a gente espera com fé na raça humana ... ;) não é?

av disse...

E dos meus também, Teresa.

Claro, Cora, há que manter a esperança...

Bjs

O Réprobo disse...

Querida Ana,
é, evidentemente, um caso de superioridade da Mensagem sobre o homem, apanhado em baixos adultérios e tráficos de influências.
Quanto à questão de fundo, ainda há muitos ressentimentos, expressos na brutalidade Yank que acompanhou a ocupação do Sul e as restrições impostas ao modo de vida regional. Se os dollars garantiram a unidade nacional federativa, ficou uma raiva surda que nas camadas menos abastadas se canaliza contra os mais fracos, que, no caso, só poderiam ser a população negra.
Mas há bons sinais de mudança e um deles é o aumento da influência católica, em detrimento de credos protestantes radicais que estavam na base das tensões referidas.
Beijinho

av disse...

Sim, Paulo, sei a que se refere. Mas Luther King era uma figura incómoda, e deve ter havido muita difamação também. De qualquer maneira, é o que diz: a Mensagem vale por si própria, e a verdade é que foi através dele que foi ouvida com toda aquela convicção, numa época em que isso requeria muita coragem. Tanta, que o preço foi a morte...
As menoridades dos homens diluem-se na História, os seus actos de relevo ficam.
Acredito que foi muito graças a esta voz e a esta mensagem que as mentalidades nos States começaram a ser sacudidas e têm vindo a mudar. Lentamente, mas a mudar. Foi um turning point.
Não nego o importante papel da Igreja Católica, claro, mas não tenho dúvidas de que Luther King abriu caminho à mudança quando pôs o dedo na ferida.
Beijinho

RAA disse...

Que bem lembrado, vizinha! Um dos meus heróis.

estrelicia esse disse...

Fico sempre impressionada quando o ouço dizer com aquela força espantosa: "I have a dream". Um herói e bem merece a nossa admiração!