sexta-feira, 8 de fevereiro de 2008

Wish you were here

(Pink Floyd - Wish you were here)

So... so you think you can tell Heaven from Hell, blue skies from pain.

Can you tell a green field from a cold steel rail? A smile from a veil?

Do you think you can tell?

How I wish, how I wish you were here.

10 comments:

RAA disse...

A música deles?

av disse...

Dos Pink Floyd? Claro que sim!
Ou não? Já me baralhou, vizinho...

Margarida disse...

Grande escolha, Ana. Entre várias outras boas escolhas possíveis, como você própria costuma dizer e, suponho, diria. Mas não se deixe baralhar pelo vizinho. A escolha é única, inconfundível. Pink Floyd. Do álbum "Wish you were here", 1975, Dave Gilmour (música), leading vocal, e Roger Waters (letra). E, claro, incluída no álbum "Echoes"(um best of, editado em 2001). Como alguém me escrevia, há poucos dias, "estes tipos compuseram algumas das mais belas músicas de sempre".

Uma curiosidade. Este video (que, no fim, aparece reportado, precisamente, a "Echoes") é, parece-me, a julgar pelo cenário, uma gravação da Division Bell Tour, de 1994. "Division Bell", um álbum PF desse ano, precisamente. Se o meu palpite - aparentemente confirmado por julgar ver em palco todos os membros de Pink Floyd (Gilmour, Wright, Mason) menos Waters - está certo (?), trata-se de uma produção da fase pós-Waters, em pleno conflito entre os principais membros de PF, depois de Gilmour e Wright terem decidido manter a banda, com o mesmo nome.

O que, em qualquer caso, não impede que esta particular interpretação seja deslumbrante. A confidencialidade, digamos, da obra, tipo unplugged, acentua-se e sobressai, mais que na gravação em estúdio, numa arena repleta de gente.

Por isso, e porque gosto muito, aqui lhe deixo, e aos visitam o seu blog, uma versão, que tenho por notável, de "Comfortably Numb" (o título do video tem uma gralha), uma das minhas preferidas, recentemente interpretada por Dave Gilmour, com recurso a um arranjo, vocal e instrumental, de enorme qualidade, acho. Do álbum "The Wall", 1979, uma das mais belas produções de Pink Floyd. E, vale a pena acrescentar, uma das poucas desse álbum em que música e letra não são da autoria exclusiva de Roger Waters. É também uma parceria Gilmour (música, Waters (letra, que, como todas, vale a pena encontrar e seguir).

http://www.youtube.com/watch?v=vexI88Jy8lk

Desta vez não foi preciso ir à sempre útil Wilkipedia para debitar este relambório. É a dita de ter à mão quase todos os discos que mencionei. No mais, o YouTube é, de facto, aquela máquina.

Um beijinho. E continue a brindar-nos, como sempre, com excelentes sugestões musicais. A música é a Primavera das margaridas.

Margarida disse...

Ana, os nervos das grandes ocasiões - deve ter sido isso... - trairam-me e o mesmo comentário aparece duas vezes. Importa-se de suprimir um deles ( e este), por favor? Não sei como isso se faz. Obrigado.

av disse...

Já apaguei, Margarida. Obrigada pelo seu contributo precioso, sei muito bem que não é "conhecimento wikipedia". Mas não se iluda com a confusão do RAA: o bom gosto e conhecimentos de música dele também são à prova de bala. Baralhou-se, talvez.

Os Pink Floyd são uma das minhas bandas preferidas de sempre (talvez mesmo a nº 1). Geniais. Esta música em particular, mas quase todas as outras também. Vi-os em palco em Lisboa. É possível que tenha sido neste mesmo tour, de 94? Já não me lembro do ano, mas lembro-me muito bem do concerto, uma grande produção absolutamente inesquecível.

E deixe-me dizer-lhe que gosto muito de vê-la outra vez por aqui. Volte sempre, ok?
Um beijinho

Huckleberry Friend disse...

Esta nunca faltava no alinhamento das guitarradas de fim da tarde no Baleal. Era uma espécie de Oceano Pacífico da RFM, mas Atlântico e só nosso, a treinar para a fogueira do fim das férias. Os manos Gonçalão e Bernardo Formosinho, com o primo Pedro, faziam do quarto dos rapazes de sua casa um music-hall. Não era um clube "menina não entra", pelo contrário, eram muitas as espectadoras e cantoras assíduas (duas Sofias, a minha irmã, as primas Formosinhas, mais uma ou outra Baltazar de ambos os ramos), o que dava azo a harmonias e segundas vozes com todas as tonalidades do pôr-do-sol que não perdíamos, antes ou depois do banho de mar das oito, consoante o Verão estivesse no início ou no fim. O Nuno Chorão assobiava Zeca Afonso, o Vini e eu tentávamos compor um novo hino para o Baleal, o PTD tentava impingir músicas dos escoteiros, Brothers in arms levava-nos às lágrimas e gastámos um Agosto inteiro para atinar com a Chave dos sonhos do Represas (foram as Sofias quem resolveu o dilema...).

Ainda canto ao fim da tarde, no Baleal. Foram-se os Formosinhos da casa velha, mas muita gente daquele tempo ainda por lá anda. O quarto dos rapazes deu lugar ao privé da minha casa, ao pátio do Clube ou ao quarto das manas Knapic. Há novas vozes, novos sons, novos gadgets, mas a música, o Baleal e a alegria de cantar são os mesmos. Por mais candeeiro ou primeiro andar recuado, por muito que nos queixemos do mal que tem sido feito à nossa ilha, há coisas que resistem a tudo. Beijinho, Ana, por esta pérola.

Tangerina disse...

Olá! Passo aqui para dar os parabéns pela escolha musical. Traz-me boas recordações! Mas também para dizer que gostei deste seu blogue... e dos outros que já vi que tem! Passarei mais vezes e talvez roube umas receitas do Pasteis, pode ser?

um beijinho

RAA disse...

Desculpe, vizinha. Perguntava(-me) se seria esta a grande música dos Floyd. Obrigado pelas palavras generosas. A música de cima é também excelsa (esta não consta das 12...)

av disse...

Huck,
O meu Baleal tinha exactamente os mesmos nomes, porque eram... os pais desses. E fazíamos mais ou menos o mesmo que vocês.
Bons tempos. Às vezes tenho pena de não tê-los aproveitado ainda mais. Descobrimos, só muito mais tarde, que deixámos passar alguns momentos importantes sem darmos por eles. E pronto, estou a ficar nostálgica...

Tangerina,
seja muito bem vinda. E claro que pode roubar receitas do Pasteis sempre que quiser. Volte sempre.

av disse...

Ah, vizinho, bem me parecia que a confusão só podia ser minha...
E sim, para mim é esta "a" música dos Pink Floyd.
Vou lá espreitar as suas excelsas palavras.
Beijo