terça-feira, 19 de fevereiro de 2008

O poder das circunstâncias


Fui ver o filme "Expiação", uma história que confirma uma vez mais como a vida se faz mais de circunstâncias do que de vontades.
Que bom seria se fosse ao contrário!
Fez-me lembrar uma frase lapidar que o meu avô dizia muitas vezes: "Não interessa nada o que as pessoas são lá no fundo... O que convive com os outros é sempre a superfície".
(Imagem: Júlio Resende)

11 comments:

JuliaML disse...

ichi.

é em verdade...

RAA disse...

Grande frase.

Anónimo disse...

Ana, esqueceste de dizer que é um excelente filme. Como só os Ingleses sabem fazer.

Manel Teixeira

av disse...

Manel, é um filme lindo e bem interpretado e a verdade é que, como tu, gosto sempre dos filmes ingleses. E ainda tem um rebuçado, no fim: os 5 minutos da Vanessa Redgrave valeriam o filme, se não houvesse mais nada. Mas não é, seguramente, um dos filmes da minha vida.

African Queen disse...

Também acho que é uma grande verdade, sim senhora... se bem que eu acredito (sim, mesmo no patamar da fé :)) que atraimos algumas circunstâncias e não vemos outras... viver bem é muito difícil :).
Beijinhos e melhoras para ti.

JP disse...

E diz quem viu que a Keira Knightley vai muito bem com os seus ossinhos...

Não achas que ela seria mais interessante, até mais ACTRIZ se tivesse mais por onde agarrar ATRÁS?

E que tal recomendar-lhe os "Pastéis de Nada"?

Beijos.

av disse...

AQ,
Acho que tens razão e até vou mais longe: viver é difícil. Mas não conheço nenhuma alternativa que seja melhor.
;) Beijo

JP,
Acho que ela é uma boa actriz, mas concordo que é esquelética. Mesmo assim, só "com os seus ossinhos" consegue a proeza de ser sexy.
Beijo

O Réprobo disse...

O Avô da Ana seria Leitor de Joseph Conrad? É que este sempre recusou a psicanálise, nesse tempo mais conhecida por "Psicologia das
Profundezas", porque dizia que já encontrava muito que abordar na superfície das relações humanas e nela o essencial das condicionantes comportamentais.
Beijinho

av disse...

É bem possível, meu amigo. O meu avô era um leitor exigente. Além disso era advogado, e calculo que devem ter-lhe passado pelas mãos muitos casos de agressores que "lá no fundo, no fundo, até eram boas pessoas...". Ele defendia que a superfície - a parte de nós que convive com os outros - tem que ser de boa qualidade, porque o tal "fundo" não estabelece pontes nem é útil a ninguém, nem às vezes a nós próprios. Acho que ele tinha razão. E estava completamente de acordo com Conrad no que toca aos comportamentos, portanto.

Um beijinho e volte sempre. Passo sempre no Afinidades Efectivas, embora não comente muito.

teresa ribeiro disse...

Grande frase, a do seu avô!

av disse...

Também acho, Teresa.
Era um homem especial.