sexta-feira, 7 de dezembro de 2007

Cimeira?


Não percebo porque é que chamam Cimeira a uma tal exibição de ditadores implacáveis e desumanos, tratados pela Europa com todas as honrarias, como se fossem gente de carácter e digna de admiração.
É triste e dá que pensar. Por que valores, afinal, se rege o mundo ocidental (dito "civilizado"), se se verga assim aos diamantes e ao petróleo com tanta facilidade, esquecendo o sangue que escorre de ambos? E não me venham com tretas de "oportunidade única de discutir os direitos humanos". A mim, cheira-me a rendição e a hipocrisia.
Eu chamar-lhe-ia, antes, uma Baixeira.
(Nota: Este post é dedicado ao Pedro Correia, do Corta-Fitas, que tem feito nas últimas semanas um útil e exaustivo levantamento das biografias destes meninos de coro. Leiam-nas, vale a pena.)

13 comments:

JG disse...

E os parvalhões dos políticos ditos dos países civilizados a afivelar sorrisos e bacalhauzadas. Como esse aí, da foto. Uma tristeza!!!

av disse...

Bota tristeza nisso, amigo. O nosso Pinóquio excede-se sempre na simpatia aos convidados indesejáveis.

RAA disse...

E não esquecer que ao lado dos Mugabes & c.ª está um cúmplice da carnificina do Iraque, especialmente repelente quando notou que Portugal não perdeu nada em anfitriar a Cimeira dos Açores (para nossa vergonha). Os milhares de mortos, as vidas destroçadas, o que é isso, se ele (porque politicamente inóquo e servil), foi alçapremado à presidência da UE?...

av disse...

É a vã glória de mandar, vizinho. Como dizia o outro, melhor do que ninguém.

miguel disse...

Pois é...é a "real polytik". Não a faremos, nós, à nossa maneira, todos os dias, nas circunstâncias que nos interessam?

manuel teixeira disse...

Obrigado Miguel por teres posto alguma reflexão no assunto.

av disse...

Miguel e Manel,
Claro que é a real polytik, mas há coisas com que eu não compactuo mesmo, por nenhum preço. Falo por mim, claro. E convenhamos que, mesmo que o façamos (cada um de nós, todos os dias) não se podem comparar as consequências com as atitudes de Estado...
E não prescindo do meu direito à indignação.

Pedro Correia disse...

Baixeira: isso mesmo. Não pode haver melhor definição.

Francisco Castelo Branco disse...

Até que ponto "estes meninos" não estão a aproveitar-se da bondade dos "amigos" europeus.
Nao ha direitos humanos na maior parte destes países.
Será que não vale a pena fazer uma cimeira UE-Médio Oriente? Porque nao o fazem?

Hugo disse...

Os africanos são uns ditadores assumidos, o pior são uns que andam camuflados de cordeirinhos pelos paises ditos civilizados, se podem intervir em paoses como Afeganistão e Iraque também o podiam fazer em África. E atenção, não estou a falar de guerra porque isso já lá há muita e patrocinada pelos "cordeirinhos"

Ratatouille disse...

Pois é!

A espinha dorsal já não é o que era. É menos direita!
Temos (têm eles) que nos baixarmos (ai, as cruzes) a estes senhores de opereta, que, ainda por cima, nos custam um dinheirão para andarem por cá a passear.

Coitados... vieram à cidade... fazer compras... as madames... que engraçadas que elas são... e os beduínos... que giros... a ficarem numa tenda lá prós lados da marginal... pobrezitos... com este frio... antes ficar no Ritz... que tem spa... mas... se calhar, ficavam mais (des)lavados... hummm... afinal, foi melhor ideia a tenda no meio da poluição da marginal... será que também trouxeram camelos?... não, não... não é desses entre os 250 da comitiva... é dos de quatro patas...

Pena tenho eu do Jardim Zoológico. Neste fim de semana fez menos negócio, com certeza... o pessoal não precisou de pagar bilhete... bastou ficar nas avenidas a vê-los passar... nas limósines... com batedores... daqueles... que usam lá na terra... batida.

Enfim... portuguesices à portuguesa...
De vez em quando, temos que nos pôr em biquinhos de pés...

Pois é?...

av disse...

Ratatouille,

Brincadeiras e ironias à parte, não duvides de uma coisa: quem se está a rir são eles... de nós!
Nós, os "supostamente" civilizados europeus, tesos como carapaus, a prestar-lhes vassalagem e a ficarmos embasbacados com a opulência barroca dos palácios, dos aviões privados, dos iates, dos hoteis de alto luxo.
Porque, para eles, tudo isso é peanuts e para nós, que não temos petróleo nem diamantes a saltar do chão, é já só uma miragem...
E é, infelizmente, na esperança de umas migalhas de negócio com esta gente, que fazemos salamaleques e piruetas e engolimos os sapos protocolares que eles se divertem a enfiar-nos pela goela abaixo!
Civilizados, nós?? Seria de gargalhada, se não fosse tão triste.

av disse...

Ah, outra coisa: já cumpri a promessa e pus a receita dos pasteis de nada. I'm back, também à cozinha.
Beijo