sexta-feira, 19 de outubro de 2007

Nada na manga, tudo na cave


Autoridades apreendem 2 milhões de dólares na casa de David Copperfield. Agentes do FBI apreenderam quase 2 milhões de dólares em dinheiro vivo num depósito em Los Angeles, pertencentes ao ilusionista David Copperfield. As autoridades já iniciaram as devidas investigações.
Na rusga, os agentes confiscaram ainda o disco rígido de um computador e um chip de memória de camaras digitais. «Fomos informados de que há uma investigação em curso, estamos em contacto com os investigadores e respeitamos o sigilo», afirmou à Reuters o advogado de Copperfield.
Copperfield, 51 anos, cujo nome real é David Kotkin, é famoso por truques como fazer desaparecer a Estátua da Liberdade e atravessar a Grande Muralha da China.
Fonte: SOL/Reuters
É sempre bom saber uns truques.

3 comments:

peri s.c. disse...

Provavelmente eram uns U$$ 8 milhões, ele fez um gesto mágico e os investigadores só enxergaram U$$ 2 mi.

Margarida disse...

E famoso por ser o namorado da Cláudia Schiffer, não foi? Terá sido ele o da ilha, logo abaixo, quando ainda não era VIP? Diz que a polícia ainda procura afanosamente pistolas com riscos na coronha... Mas não encontra.

É que, fantasias à parte - reza a história - o rapaz até foi respeitador. A sua leitura corresponde a uma realidade cultural consolidada, aceito. Mas é politica e facilmente correcta, por isso mesmo. A história bem poderia retratar mulheres, algumas mulheres, "numa das suas piores facetas". Ou ser reveladora, pelo menos, de um preconceitozinho da nossa Cláudia, apresentada, não por acaso, como "aquela mulher de sonho". Pontos de vista. Porque há-de partir-se do princípio que ele a andava "a comer agora" e não o contrário? Ou porque não há-de supor-se, simplesmente, que andavam ambos a "comer-se"..., por mútuo consentimento?

Ou eu sou uma ingénua e tudo não passará de mais um truque de magia do Copperfield para aquecer a imaginação de pistoleiros - e de pistoleiras, já agora - sem imaginação? Sem o tal "golpe de asa", aqui muito falado...

De tudo, prefiro - e retenho - a parte final da sua nota que aqui transcrevo, data venia:

"(...) quantas vezes o segredo de uma história a dois não é o seu maior atractivo? E quantas vezes a atracção não se desfaz com esse exibicionismo escusado, porque nunca tinha passado disso mesmo: uma atracção, ou o picante que tem sempre um segredo?..."

Isso sim. Quantas vezes...

Um beijinho para si.


PS: Devia ser possível aumentar as imagens dos seus livros, mais abaixo. Para ficarmos a saber tudo o que consta da capa. Sem lupa. Estou seguro que ninguém levaria a mal a imodéstia...

ana vidal disse...

Foi namorado da Claudia Shiffer, sim. E deve ter sido por associação de ideias que o David Copperfield veio aqui parar.

Quanto à anedota, é antiga. E se não for contada com uma "mulher de sonho", perde o sentido. Normalmente são as glórias que se exibem, as derrotas costumam ser mais privadas. A Claudia Shiffer corresponde a esse arquétipo para muitos homens, por isso a escolhi. Por acaso até acho que ela tem cara de desenho animado, mas isso é uma opinião pessoal.

Respondendo às suas observações:

Nenhum preconceito: sugiro o exercício de substituir a Claudia Shiffer por uma empregada de quarto e o rapaz pelo George Clooney, por exemplo. Tudo se mantém, com a diferença de que o George Clooney até as roupas femininas aguentaria, sem perder o charme...

É certo que também há mulheres que exibem as suas conquistas (e esta carapuça serve-lhes também), claro que sim, mas é bem mais vulgar que sejam os homens a fazê-lo. As mulheres são mais secretas, mais ciosas da sua intimidade. E também - isso é incontestável - muito menos corporativas - bem podiam, aliás, aprender e adoptar um bocadinho da famosa solidariedade masculina.
Por outro lado, também tem a sua graça que seja uma "Margarida" a fazer estes comentários. Aplaudo uma mulher que não cai no facilitismo de cerrar barricadas em guerras de sexos... muito bem!

Um beijinho também para si, e volte sempre.

PS: Os livros ficam desfocados lá em baixo, eu sei. Mas não consigo pô-los noutro sítio em que não tenham essa distorção. Sorry.