quarta-feira, 16 de maio de 2007

Da minha língua

Para não acabar a noite em branco (embora a tenha passado em branco), resta-me a humilhação de citar alguém. E, já que me rendo, deixo-me pelo menos humilhar com uma frase que considero muito boa:


"Homenagem a Vergílio Ferreira:
Da minha língua vêem-se os molares, os caninos e os incisivos."

Pedro Mexia, in Estado Civil

Pronto. Agora é hora de pôr a corda ao pescoço, despejar o frasco dos comprimidos e fazer com que o tiro não falhe.

Até...

4 comments:

Anónimo disse...

olá Ana:
aqui estive a bisbilhotar um bocadinho.
a ver se nos vemos rapidamente
um beijo

tiago torres da silva

João Paulo Cardoso disse...

Ainda agora aqui cheguei e já vai se matar?

Resta-me ler, a título póstumo, tudo o que ficou para trás...

AV disse...

Olá Tiago, bem vindo! Long time no see...
Toda a razão, temos que nos encontrar um dia destes. Se não for antes, quem sabe no concerto do Zé Miguel Wisnik. Ou não vai?
Beijo
Ana

AV disse...

JPC:
Então pronto, o tiro fica para a próxima. Não posso fazer-lhe essa desfeita!