segunda-feira, 21 de janeiro de 2008

Diz-me quem te reforma, dir-te-ei quem és

Pouco mais há a dizer sobre este assunto. Todos os comentários já foram feitos, todas as indignações já foram gritadas aos sete ventos. E todos eles sem qualquer efeito, como se sabia que iria ser, desde o princípio.
Não venho aqui acrescentar protestos, clamar por justiça social nem invocar vergonhas que não existem onde deviam existir. Apenas me lembrei de uma amiga minha que espera, há mais de dois anos, a caridade de uma sentença favorável de junta médica para o seu pedido de reforma por doença. E está doente, sim. MUITO doente: tem uma doença rara, incurável, incapacitante e de evolução rápida, que lhe dá dores permanentes e uma deformação progressiva das articulações. A profissão, que exerce com paixão há mais de 20 anos? Educadora de infância...
Já juntou infindáveis relatórios de especialistas, todos eles absolutamente conclusivos, e já se apresentou com eles em, pelo menos, 3 juntas médicas. Perde e recorre, perde e volta a recorrer. E não, não lhe dão a reforma. Porquê? Não faço ideia. Talvez porque é viúva e não tem dinheiro para pagar a um bom advogado, que a defenda desta gritante injustiça. Talvez porque é discreta e tem pudor de levar o seu caso para as televisões, onde se resolveria em três tempos para calá-la depressa. Talvez só por não se chamar Paulo Teixeira Pinto, e não ter sido CEO do Millennium BCP.

6 comments:

Anónimo disse...

Injustiças de que se faz a nossa realidade. E assim vai este País, a duas velocidades!
Carla

samuel disse...

Já não há muito mais a dizer, não é?
Agora era mais fazer!...

av disse...

Pois é, Samuel, agora era mais fazer. Mas essa é que é a parte difícil.

adelaide amorim disse...

Querida Ana, esse é o clamor de milhões de pessoas que não se conformam com esses arranjos, também aqui em nosso país.
Enfim volto das férias (desconectadas) para melhor acesso aos amigos.

PSB disse...

Coitado do Paulo. Já reformado e por uma junta médica (desejos de rápidas melhoras, sim? Paulo) e tão novinho. O que vale, é que, com 10 milhões no bolso (coitado, Paulo) poderás recorrer a cuidados de saúde que te ponham novamente afinadinho, não é Paulo? Mais os 35 mil euritos de reforma mensal. Sempre dá para as pílulas, mesmo se não foram genéricas, não é Paulinho? E o que vier desta recente nomeação (dia 10) como senior adviser da Eurogroup Consulting. Hein? Mais algum até dá jeito, não vá haver uma recidiva, não é Paulito?
E vívamos todos !

av disse...

LOL