quinta-feira, 11 de outubro de 2007

Salma, a suprema ironia

Salma, a "Barbie muçulmana" feita a pensar nas meninas islamitas da Indonésia, é já um enorme sucesso. Das adaptações implementadas fazem parte a cabeça coberta por um lenço e "roupas largas e decentes". Porque o hábito faz mesmo o monge, por lá. E uma coisa é conquistar o mercado, outra é provocar os consumidores. Não se brinca em serviço. Vejam o video, vale a pena.


4 comments:

João Paulo Cardoso disse...

Genial essa Barbie Muçulmana.

Pode ser que a seguir surja um Ghandi ocidental, de longos e louros cabelos ao estilo hippie.

A prova de que o mundo está mesmo em mudança?

Amanhã, sexta-feira 12, "O Eldorado" apresenta a telenovela que a TVI não quis:

"Lelo Marmelo", a não perder.

http://oeldorado.blogspot.com

Beijos.

ana vidal disse...

JP,
essa novela é que eu não perco!
Se a TVI não a quis é porque deve ter cenas realmente chocantes! Pior que as que lá passam é difícil...
bjs

Lord Broken Pottery disse...

Ana,
Incrível as oportunidades que a ânsia de ganhar dinheiro não criam. Divertidíssima essa Barbie.
Beijo

ana vidal disse...

Não é mesmo, milord?
A imaginação dos publicitários não tem limites.
Beijo também