segunda-feira, 22 de outubro de 2007

Demasiado fácil


O site do cancro da mama está com problemas pois não têm o nº de acessos e cliques necessários para alcançar a quota que lhes permite oferecer 1 mamografia gratuita diariamente a mulheres desprivilegiadas. Demora menos de um segundo para ir ao site e clicar na tecla cor de rosa que diz: "Free Fund Mammograms".É só lá ir e espalhar a notícia. Demasiado fácil.
Nota: Copiado do Daniel Oliveira, no Arrastão.

13 comments:

Mad disse...

Já fui, já cliquei e já pus no meu blog. Bjs.

Mãos que Marcam disse...

Olá Ana,

Aparece no meu novo cantinho e se puderes, divulga!

É só seguir o perfil.

Beijocas
FL

JG disse...

Vou já lá. É realmente demasiado fácil para não se fazer. Vou divulgar

Bjj

JG disse...

Também eu.

ana vidal disse...

Olha, hoje há heterónimos nos comentadores!

Fl, vou agora lá ver isso.

Bjs
ana

Capitão-Mor disse...

Só hoje reparei que deste um pulinho lá nos trópicos! Agradeço e passo por lá sempre que bem entenderes...
Comunicação e Mídia? Bom, estou a ver que somos da mesma área! :) Melhor dizendo, éramos, na fase pré-Brasil!
Abraço

ana vidal disse...

Olá, capitão-mor. Bem vindo.
É verdade, descobri-te através da mana Mad e passei por lá ara esreitar. Grandes atribulações, de um português pelo nordeste brasileiro!
Estive em Natal e, tirando as praias e as dunas (claro), achei a cidade muito feia. Não sei se está melhor agora, isto já foi há uns anos. Não sei se tencionas ficar por aí, mesmo assim tão desanimado, mas olha que as coisas por cá não estão muito melhores!

Abraço
ana

ana vidal disse...

Flora, o teu "manitas de plata" já está nos meus links. E tens lá coisas bem giras! Vou fazer publicidade.

beijinhos

FL disse...

Ana

Obrigada pela visita e pelo link!
Beijocas

Mário Cordeiro disse...

Na minha opinião, o cancro da mama +e demasiado grave e importante para depender paenas de iniciativas deste tipo, a roçar o folclore, e branqueando o governo e a saúde pública das suas rpsonsabilidades (e as mulheres também).
O que há é que divulgar o rastreio e respectivas metodologias, arranjar um programa organizado sequencial para os rastreios e dar respostas adequadas e atempadas.
Há vinte anos houve uma campanha enorme, em Londres, para "salvar" o Great Ormond Stress Hospital, o hospital pediátrico de Londres, e o mais especializao.
Posis o debate foi grande: é ou não ao Estado que cabe dar apoio a estas iniciativas? Se os populares as apadrinham, estão a salvar o projecto nesse ano, mas estão a comprometê-lo para sempre, proque oe Estado lavará as mãos, como Pilatos, e ainda fará política sobre o que os cidadãos fizeram.
Se éum importante e transcendente problema de saúde pública, passível de rastreio, diagnóstico e tratamento, com grandes vantagens na relação custo/benefício, então deve se feitop pelo Estado. Sem mais.

ana vidal disse...

Claro que tens razão, mas isso são medidas de fundo, artilharia pesada que cabe ao Estado, sim. Infelizmente, são decisões políticas e sofrem desse mal, quase sempre. A única coisa que podemos fazer é divulgar estas iniciativas privadas da sociedade civil, mesmo folclóricas. Isso, pelo menos, está ao nosso alcance. E é melhor do que nada, enfim.

Mário disse...

Ana, por favor.
Corrige as gralhas - o bando de gralhas - que povoou o meu cmentário.
Que dislexia teclacional...
Obrigado antecipado

ana vidal disse...

Eu não posso alterar os comentários, Mário! Ou, se isso é possível, não o sei fazer. Mas não te preocupes, ninguém vai acreditar que tu escreves assim...