domingo, 2 de setembro de 2007

O que der e vier


O QUE DER E VIER

Tributário apenas da verdade,
avesso a peias e grilhetas,
feito da massa dos poetas
e dos que amam a liberdade,
sensível à dor própria e à dor alheia,
lutando até ao fim por uma ideia
de peito aberto e sem ter medo
de nada nem de ninguém,
capaz de guardar segredo
mas de o revelar também,
eis como sempre hei-de ser
para o que der e vier.

(Torquato da Luz, no Ofício Diário)

4 comments:

adelaide amorim disse...

Seu blog é dos bons, Ana. Pena que só o descobri agora. Mas há muito para ler ainda. Um beijo e boa semana.

ana vidal disse...

Obrigada, Adelaide. O seu também, já é de leitura obrigatória para mim desde que o descobri no Lord Caco.

Vieira Calado disse...

Belo poema do Torcato, que eu já tinha visitado em seu próprio blog. Um abraço.

ana vidal disse...

Bem vindo, VC. Sei que também é poeta, hei-de ir lá lê-lo. E o seu blog de astronomia é muito interessante.
Abraço também.