sábado, 29 de setembro de 2007

Hot Beja


Recebi há dias um convite para um tal "Festival do Amor", em Beja, onde parece que as hormonas do país estão todas concentradas até amanhã. Até aqui, tudo bem. Acho bem que haja festas para todos os gostos, e os fabricantes de vibradores e cuequinhas comestíveis também têm direito a vender o seu peixe.
O que eu condeno e me indigna é a associação do nome de Mariana Alcoforado (era de Beja, sim, mas e então?) a esta descabelada orgia de sabores e sensações. O festival promete "mais de duas dezenas de eventos culturais (em 3 dias?!?!), entre workshops de artes orientais, de dança do ventre, teatro com As Vampiras Lésbicas de Sodoma", e um sem número de outras delícias "onde não faltarão, entre outras atracções, as já incontornáveis barraquinhas de beijos, as tasquinhas com petiscos afrodisíacos" (encabeçados, com toda a certeza, pelas barrigas de freira), e até, pasme-se, "o Rouxinol Faduncho e um show Transformista"!
Tudo isto sob o signo dos furores sensuais da pobre Soror Mariana, que, se saísse do túmulo e voltasse a Beja nestes dias, tropeçaria num cartaz em que a sua sombra chinesa, sentada num coração (de rabo de cavalo e língua de fora) sugere novos programas hot a mil Cavalheiros de Chamilly. E, aposto o que se quiser, morreria de novo.

4 comments:

samuel disse...

Depois ainda há quem insista naquela frase reaccionária, mas na verdade, mais parva que reaccionária, segundo a qual "gostos não se discutem".
Ai discutem, discutem!...

ana vidal disse...

Também acho, Samuel. Acho que tudo é discutível, aliás. Mas este cartaz talvez seja a excepção, porque me parece de um mau gosto atroz.

ORIANA disse...

Voltei... e só para dizer que me parece que Mariana Alcoforado só teria uma coisa a dizer, ou a repetir das suas cartas:

"Como é possível que a lembrança de momentos tão belos se tenha tornado tão cruel? E que, contra a sua natureza, sirva agora só para me torturar o coração?" (in Primeira Carta)

Deixem a senhora na sua tumba descansar "en paz con dignidad"...

Besos a todos
ORIANA

ana vidal disse...

Sempre oportuna e bem documentada, Oriana. Obrigada pela achega.

besitos
ana