domingo, 19 de agosto de 2007

Evolução


As revistas Cosmopolitan e Men's Health publicaram recentemente um estudo sobre Amor e Sexo, feito num universo de mais de 40 mil pessoas de todas as idades e dos seguintes países: Portugal, Espanha, Itália, Reino Unido, Holanda, E.U.A., Brasil, México, Filipinas, China, Ucrânia e Sérvia.

Uma lista de perguntas visava definir o(a) parceiro(a) ideal, tendo como base que se tratava de parceiros para um relacionamento, e não de parceiros ocasionais e inconsequentes. As principais conclusões são agradavelmente surpreendentes, sobretudo se tivermos em conta a quantidade de latinos envolvidos no estudo:

1. Os homens preferem, claramente, as mulheres inteligentes às bonitas.
2. As mulheres preferem homens com sentido de humor a exemplares bons na cama.
3. Apesar disto, as mulheres querem e precisam mais de sexo do que os homens.
4. Todos os inquiridos (de ambos os sexos), querem sobretudo alguém que os faça sentir únicos.
5. Todos, ainda (de novo em ambos os sexos) procuram parceiros que cuidem da sua imagem, mas sem exageros.

Ou seja, parece que a aparência (aparentemente (!)) deixou mesmo de ser uma questão central, e a sua importância raramente ultrapassa as primeiras impressões. Longe vão os tempos em que as mulheres suspiravam por uma virilidade explícita e incontestável, feita de estereótipos ancestrais que envolviam o poder e as proezas físicas. Mas também depressa se esgotou a novidade dos dúbios conceitos de metrosexualidade, surgidos recentemente. Por outro lado, a absoluta hegemonia da beleza também já passou à história, nas prioridades dos homens.

Resumindo, ninguém quer narcisos fúteis, gente centrada em si própria e alheia ao mundo que a rodeia. Ninguém já quer Barbies ou Kens. A humanidade sempre vai evoluindo, afinal de contas.
Devagar, mas vai.

2 comments:

FL disse...

Olá! Gostei. Vou roubar! Nada como uma ladra descarada, né?:)

Beijos

ana vidal disse...

Nem mais, também faço o mesmo!
Wellcome back, Fl.
Bjs