quinta-feira, 5 de julho de 2007

Xeque-mate

Xeque-mate, ou como transformar um sorriso trocista numa lágrima comovida, ou ainda os 15 minutos de glória de um vendedor de telefones móveis.

3 comments:

João Paulo Cardoso disse...

Isto é apenas mais um caso onde a falta de oportunidades empurra gente talentosa para empregos asquerosos.

E não digo mais nada.

av disse...

É mais um para convidarmos para a nova empresa, boa?
Se a coisa der para o torto vamos todos vender telemóveis...

Mad disse...

E mai nada!